Com seis meses de auxílio atrasado, pacientes enfrentam dificuldades para tratamento

Por Delta | 16/11/2018 | Sem Comentários

Na manhã desta quarta-feira (14/11), o Piauí foi destaque durante uma reportagem especial do programa Bom Dia Brasil, da Rede Globo. No entanto, mostrando uma realidade negativa presente no Sistema de Saúde Público do Estado. A reportagem denunciou a jornada de pacientes com problemas renais na cidade de Oeiras, que se deslocam até 80 km para chegar ao hospitais localizado em Picos.
O transporte é custeado pelo Governo Federal, através de um programa do Sistema Único de Saúde (SUS), o Tratamento Fora de Domicílio (TFD). Porém, segundo à reportagem do OitoMeia apurou com o presidente da Associação de Pacientes com Problemas Renais (APPR), Luís Filho, o pagamento do auxílio aos pacientes está atrasado há seis meses.
Segundo o presidente, os motoristas das vans que realizam o transporte dos pacientes às clinicas já começam a recusar prestar o serviço às pessoas que dependem do TFD devido a falta de pagamentos. Os pacientes com problemas renais e oncológicas são os principais prejudicados, pois necessitam fazer o deslocamento semanalmente.
“O auxílio é custeado pelo Governo Federal que repassa o dinheiro ao Governo do Estado, que então, distribui o recurso entres os pacientes. Atualmente, esse repasse não está acontecendo há seis meses em diversas cidades”, afirmou.
PROBLEMA SE ESTENDE POR TODO O ESTADO
Segundo o presidente APPR, o problema não se resume aos pacientes com problemas renais, mas também aos que tem problemas crônicos, acológicos e câncer. No Piauí, mais de 11 mil pessoas dependem do TDF para se deslocarem aos hospitais que realizam o tratamento.
De acordo com Luiz Filho, no Sul do estado pacientes que dependem totalmente do auxílio para utilizar às vans, constantemente deixam de comparecer às consultas, pois estão constrangidos pelo ao fato de não terem dinheiro para pagar os motoristas das vans.
Entre os 254 municípios piauienses apenas seis cidades oferecem os serviços de tratamento para pacientes com problemas renais: Teresina, Parnaíba, Campo Maior, Picos, Floriano e Bom Jesus. O hospital Getúlio Vargas, na capital é único que oferece os tratamentos pelo SUS.
“Se temos 254 municípios e apenas seis cidades que oferecem o serviço, é possível presumir que a demanda de pacientes com problemas renais é muito grande”, explica.
A APPR já esteve reunida com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) e com o Ministério Público do Piauí (MPPI), que está investigando as denúncias sobre o atraso nos pagamentos do TDF. De acordo com Luiz Filho, o prazo para que a Sesapi emitisse um posicionamento sobre o estado dos pacientes foi encerrado dia 11/12.
PACIENTES TAMBÉM FORAM PAUTA NA ALEPI
O deputado Gustavo Neiva (PSB) afirmou que o estado não está pagando o tratamento de pacientes crônicos, renais e/ou com câncer. Essas pessoas, segundo ele, precisam se deslocar de seus municípios para Teresina e outras cidades onde existe tratamento.
“O Estado está há vários meses sem repassar esses recursos, que são federais, para esses pacientes. No Programa Bom Dia Brasil de hoje foram mostradas as dificuldades dessas pessoas carentes e que muitas vezes estão se desfazendo de bens, para poder fazer o tratamento, em outra cidade e longe do seu domicílio”, reclamou.
Gustavo Neiva questionou o deputado Francisco Limma Lula (PT), líder do Governo na Assembleia Legislativa, sobre o “quadro” que ele “pintou”, de um Piauí com melhores condições fiscais. Neiva pediu ao deputado para que tente sensibilizar o secretário Estadual da Saúde, Florentino Neto, a pagar o tratamento dos pacientes crônicos, que fazem hemodiálise ou tratamento contra o câncer. O deputado advertiu que se esse tratamento não for retomado com a devida urgência, a vida desses pacientes está em risco.
“E, diante desse “quadro” maravilhoso que Vossa Excelência acabou de pintar, peça que o Governo pague a essas pessoas, para que elas possam ter o direito à saúde e a dignidade. E se o Governo está melhorando sua condição fiscal e que tem dinheiro para autorizar o governador passear pela Europa, como já chegou aqui na Casa mais um pedido de afastamento do senhor Governador, como não tem dinheiro para pagar as pessoas que precisam do tratamento?”, indagou, acrescentando que essa situação de descaso para com os pacientes crônicos é desumana.
O QUE A SESAPI DIZ
Procurada pela reportagem do OitoMeia, a Sesapi informou através de nota que tem atendido a todos que recorrem ao TDF. De acordo com a nota divulgada somente em 2018, foram investidos R$21.421.062,29 em passagens áreas e diárias.
“O pagamento das despesas depende também do paciente, que deve prestar contas dos valores já recebidos. O atraso nessa prestação ocasiona o repasse posterior”, declarou em nota.
Em relação aos casos mostrados na reportagem, a secretaria informou que já estão sendo processados os pagamentos referentes a duas parcelas, o que resultará na regularização dos repasses.

Edição: Parnaíba 24 Horas – Fonte: OitoMeia

0 Comentários

Deixe o seu comentário!